segunda-feira, julho 31, 2006

3 anos de UP, Retrospectiva - Anaconda, de Luis Llhosa (1997)

ANACONDA
(Anaconda, 1997)
originalmente publicado em 11 de junho de 2005.
http://underpressure.zip.net/arch2005-06-05_2005-06-11.html


Estava deitado na minha cama, em meu quarto, quando meu irmão mais novo chega com alguns DVD's pra que eu assistisse, para não perder o costume e para passar o tempo em que eu não deveria sair de casa. Então, fui assistindo um a um. Passa dia, passa noite, e lá estou eu, de frente a TV. Eis que de repente, surge em minha frente um estojo de DVD com uma capa preta, apenas dois olhos de serpente ilustrando. Na hora saquei: "Meu Deus, de novo!"

Mas, antes de falar do filme, voltemos ao ano de 1997. Estavamos eu e mais quatro amigos na locadora, quando a atendente me diz que chegou uma leva de filmes novos. Não pensei duas vezes antes de correr pra sessão de lançamentos. Olhei as capas e peguei a que mais me interessei (ainda hoje carrego essa mania): a tal capa preta, com o par de olhos de serpente. Passei o VHS na moça do balcão e corremos para a minha casa. Chegamos, colocamos a fita no vídeo-cassete e mandamos ver. No meio do filme, passei a sentir enjôos, acabei vomitando em cima da mesa de centro da sala, e acabou espirrando na cara de meus colegas, que acabaram por vomitar também. Imaginem só como ficou a sala! E o filme rodando... quando nos acalmamos, voltamos a prestar atenção no filme, e rimos muito. Até uma das cenas onde um personagem é cuspido pela cobra-gigante-malabarista-artista. Aí, voltamos a vomitar. A partir desse dia, toda vez que eu ouvi falar do filme ou o assisto, passei a sentir fortes enjôos.

Pois bem: e voltei a vê-lo nesta semana. Tomei coragem e 'mandei brasa'. Senti os mesmos enjôos, mas agora de tanto rir. Sei que o filme não tinha esse propósito, mas depois de um tempo, passou a ter.O filme conta a história de um grupo de documentaristas (Jennfier Lopez, Eric Stoltz, Jonathan Hyde, Owen Wilson e Ice Cube), que entra na Floresta Amazônica para produzir um curta sobre uma tribo indígena. Mas, no meio do mato, encontram um cacador chamado Paul (Jon Voight), que tem o plano para capturar, viva, uma anaconda que vive na floresta, que chega a medir 12 metros. E para conseguir seu feito, ele usa toda a equipe de documentaristas, como isca. O filme tem o roteiro mais furado que eu já vi, com a anaconda eletrônica mais terrível de que se tem notícia. O filme até que poderia ser bom (não sou louco), mas a anaconda estraga completamente. Aquilo não é cobra, é uma cobra-gigante-malabarista-artista-metida-malvada-estranha. E é praticamente impossivel (repito: IMPOSSÍVEL) uma cobra, mesmo uma anaconda fazer tudo o que ela faz.E as atuações? Jennifer Lopez, na tentativa de parecer assustada, está hilária. Eric Stoltz dorme (literalmente) o filme todo, e o pior de todos: Jon Voight é o vilão mais caricato que eu já vi em toda a minha vida.

Ele está engraçadíssimo, fazendo um monte de caras e bocas. Se o filme fosse feito para ser uma comédia, creio que não sairia tão engraçado. A direção de Luis Llhosa é horrorosa, terrível. Pensava-se, na época de seu lançamento, que uma coisa dessas, que os produtores diziam ser um filme, não tinha salvação e estava destinada a clandestinidade.Mas acontece que agora, quase sete anos depois de seu lançamento, o filme é cult, muita gente adora, tem comunidade no Orkut dedicada a discutir a Anaconda... bem, o filme se tornou moda.Mas, independente disso, o filme é péssimo, recebeu merecidamente 6 indicações ao Framboesa de Ouro (Pior Filme, Diretor, Ator (Voight), Roteiro, Dupla (Voight e a anaconda) e Revelação (A anaconda eletrônica)). Por mais que hoje seja cultuado como uma comédia de humor negro, ainda assim o filme é horrível. Mas é recomendado para aqueles que querem rir, apesar do filme parecer sério.No fim das contas, não me arrependi de ter visto o filme. Ri muito. Mas ainda continuo com os enjôos...



*
*
*

Uma nota?
2/10
*
*
*
***
Um abraço a todos, e até!
O Editor, ouvindo Corazón Partio, de Alejandro Sanz
(em homenagem ao amigo Niarchos Pabalis, que curte muito essa música, não é?)

8 Comments:

Anonymous N. Pabalis said...

kkkkkkkkkkkk
adorei o texto
bem trash o filme
adoro HUSAHUSAHUSHUS
KIR KIR KIR
Mais 3 anos de vida pra ti
(que horror kkk)
pro *blog \o
3 nao, vários!
Adorei o texto.
Bem emocionante, narrativo. :D

"O Editor, ouvindo Corazón Partio, de Alejandro Sanz
(em homenagem ao amigo Niarchos Pabalis, que curte muito essa música, não é?)"
- Aff adoro \o
Obrigado pela homenagem \o/

julho 31, 2006 6:01 PM  
Blogger Marco Santos said...

Desculpe, amigo luiz...Mas me inclua fora desse filme...Ré! Ré! Ré!... Também tenho estômago fraco...
Um abração!

agosto 02, 2006 2:56 PM  
Blogger Dilberto said...

Cara, Anaconda... Acho que só ganha de Armageddon! RSRS. Lembro-me deste teu texto e ainda rio muito ao relê-lo, muito bom, mesmo!

Sobre o "filme", as únicas coisas que se salvam (?) são a bunda da J-Lo dentro daquela calça de moleton e as caretas possuídas do Voight!!! Sempre que passa pela TV, vejo nem que seja uma partezinha pra ver essas duas coisas!!!

Abração, véio! E segue o filme...

agosto 02, 2006 8:41 PM  
Anonymous André said...

Oi Luiz, td bem? Primeiramente, parebéns pelos 3 anos de blog, e tenho certeza q virão sim mais 3 anos rs. E essa sua crítica foi ótima, o filme é mesmo hilário. Abraços!

agosto 03, 2006 2:53 PM  
Anonymous Sergio said...

Olá, Luiz!

Esse filme é terrivel de ruim, parece aquele, bem vindoa selva...a nota vai pela presença da Jennifer Lopez.


Um abraço

agosto 04, 2006 7:40 PM  
Anonymous Roberto Queiroz said...

Fala, Luiz, tempão que não passo por aqui (também tenho andado ocupado!). Li seu post na parte sobre o possível término do seu blog. Continue lutando, por mais que o tempo seja escasso. Não deixe a chama morrer. Quando decidi montar o meu blog sempre pensei nisso (o que acontecerá quando não sobrar tempo para postar nada?). Hoje, não me preocupo tanto com isso. Vou deixar essa questão para quando o tempo surgir (e que ele jamais surja!). Força, cara. Invente o seu próprio tempo. Abraços do crítico da caverna cinematográfica.

agosto 05, 2006 6:16 AM  
Blogger Gustavo H.R. said...

Espero que ajeite as coisas aí, Luiz, para não precisar parar com as atividades o blog.

Lembro-me de quando li a crítica quando a postou pela primeira vez (aliás, concordo contio - é dos mais acertados que já escreveu, detonou o filme com bom humor), e mantenho a opinião: se levado na brincadeira, acho que dá para assistir e esquecer depois... Há coisas bem piores às soltas nas salas de cinema!

Cumps.

agosto 05, 2006 8:51 AM  
Anonymous Anônimo said...

costaria defalar que sou contra acriaçao de cobras principalmente anacondas sumam com as anacondas porque sao uma grande ameaça para apopulasao principalmente para as crianças as todos tipos de cobras sao uma grande peste e amaldisuadas por deus cobra e uma ameasa paratudo e para todos cobra

junho 22, 2007 8:27 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home